img_0633

Em busca do Arco-íris

Hoje, 24/04, os alunos da Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (FEPE) receberam a visita do grupo de teatro Coro Cênico composto pelos moradores do Pequeno Cotolengo. Foi apresentada aos estudantes da FEPE a peça “Em Busca do Arco-Íris”, que traz como tema central lições de amizade e confiança.

Baseado no conto infantil “O Mágico de Oz”, o espetáculo contou com a participação musical do professor da FEPE, Paulo Pienta, um dos compositores das canções que fazem parte da apresentação. “É muito interessante essa troca de experiência entre as instituições. Essa não é uma simples apresentação, ela nos ensina que a verdadeira felicidade só depende de nós”, afirma Paulo.

Os alunos ficaram encantados com a apresentação e puderam, após o encerramento, conversar e tirar fotos com os artistas. Para a diretora da Escola Ecumênica, Dinéia Urbanek, a peça é um modelo de inspiração e uma forma brilhante de valorizar as potencialidades da pessoa com deficiência.

O projeto Coro Cênico, iniciado em 2009, recebe apoio via incentivo fiscal por meio do Ministério da Cultura – Lei Rouanet, e tem como objetivo promover aos moradores do Pequeno Cotolengo a inclusão através da arte, desenvolvendo habilidades criativas e socioculturais.

 

img_5909

FEPE realiza café com Vereadores

A Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional realizou na manhã dessa quinta-feira, 21/02, um café da manhã que contou com a presença dos vereadores e assessores da Câmara Municipal de Curitiba.

O objetivo do evento foi apresentar as atividades realizadas pela instituição. Os vereadores participaram de uma visita guiada pela equipe pedagógica da Escola Ecumênica onde puderam conhecer melhor toda a estrutura e os serviços clínicos e educacionais que são ofertados aos estudantes.

É claro que nossos alunos não poderiam ficar de fora. Os professores e estudantes realizaram duas apresentações para os convidados. Foram elas: “Brincar de Baleia” uma adaptação da obra “Deus” da escritora Bia Bedran e a apresentação do coral da escola, “Canários do Reino”, coordenados pelo professor Paulo Pienta.

Na ocasião, o Diretor Presidente da FEPE, Alexandro Luiz Barbosa agradeceu a presença dos vereadores e reforçou a importância do auxilio, não apenas dos órgãos públicos, mas de toda a comunidade, para que a fundação continue e amplie cada vez mais o trabalho de excelência realizado para as pessoas com deficiência intelectual e múltipla.

A diretoria Executiva, funcionários e alunos, agradecem os vereadores que nos apoiaram, com as emendas parlamentares. Que essa parceria se renove por muitos anos.

 

00238465

FEPE recebe o Prêmio Viva a inclusão

 Na última segunda-feira, 03/12, a Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional – FEPE recebeu o Prêmio Viva inclusão com a prática “Começando o Dia com Música” realizada pelo professor Paulo Pienta.

A prática é desenvolvida na chegada dos alunos na escola, ofertando música, canto e dança com o objetivo de prepará-los para o início das atividades escolares, melhorando sua capacidade de concentração, aceitação e disponibilidade à realização das tarefas.

O objetivo do evento foi premiar profissionais do serviço público, estudantes, pesquisadores, iniciativas privadas, organizações da sociedade civil e comunidade divulgando experiências nas áreas da saúde, educação, cultura, trabalho, esporte, acessibilidade, vida autônoma e defesa de direitos.

A entrega do prêmio ocorreu no Salão Brasil na Prefeitura de Curitiba e contou com a presença do prefeito Rafael Greca, do vereador Pier Petruzziello e da assessora dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Denise Maria Amaral de Oliveira Moraes. Estavam presentes no evento, para receber o Prêmio, o professor Paulo Pienta, a diretora da Escola Ecumênica, Dinéia Urbanek e a Coordenadora de Projetos, Claudiane Pikes.

 

img_8467

Fazendo Arte!

Com o objetivo de expor os trabalhos dos alunos e professores a Semana da Ciência, Cultura e Arte da FEPE revelou muitos sorrisos e energia positiva dos alunos e funcionários. Foram apresentados, do dia 17/09 até 21/09, diversos trabalhos com dança, música, teatro, comidas típicas e exposições em sala de aula.

A semana de Ciência, Cultura e Arte é um projeto que vem sendo realizado todos os anos na Escola. Os temas são definidos em meados de fevereiro e trabalhados com os alunos durante o ano. O tema desse ano é o “Os Vários Brasis que tem dentro do Brasil” que trata dos imigrantes que ajudaram a transformar o Brasil no País de todos os povos.

Para a representação, os alunos apresentaram danças como Samba, Dança dos índios, Dança dos Bichos, Gaúcha, Frevo, Baião, Carimbó, Puxada de Rede e Bolero. Apresentação de Teatro com os temas: “O pescador, o Anel e o Rei” e “O Belo Adormecido” e exposições em sala ambiente sobre: “Lendas do Paraná”; “Itália”, “Alemanha”, “Polônia”, “Japão”, “Cultura Indígena” e “Regiões Brasileiras”.

Para os alunos essa é a oportunidade de se expressar e apresentar os trabalhos que desenvolveram em sala de aula. Segundo a Vice-Diretora, Heloane Sozzi “Os alunos saem da rotina, eles são responsáveis pela produção e apresentação, tanto no salão, quanto nas salas. A semana também oportuniza a socialização entre as turmas”, afirma.

Também foram convidados os pais dos alunos para prestigiar os trabalhos produzidos pelos filhos. “Nós Abrimos as portas da Escola para a visita familiar. A presença dos familiares na Semana da Ciência, Cultura e Arte é, não apenas uma alegria para os alunos, como também um incentivo para continuarmos esse trabalho”, comenta Heloane.

 

_mg_6426

45 anos de ensino e aprendizado

A Escola Ecumênica comemora, na próxima quinta-feira (20/09), 45 anos de história voltada para a Educação Especial. Idealizada em 1970 por um grupo de mães, que devido à falta de acesso dos filhos a escola, buscavam atendimento para crianças maiores de oito anos. Essas mães logo ficaram conhecidas como “Grupo das Ecumênicas” devido à realização de reuniões harmoniosas, já que possuíam diversas religiões.

Inaugurada oficialmente em 20/09/1973, a Escola Ecumênica, prestava atendimento educacional a 43 alunos com Deficiência Intelectual. No ano seguinte, já atendia mais de 240. Atualmente, são mais de 300 estudantes matriculados no Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Nesses 45 anos de atividade, a Escola Ecumênica, já atendeu mais de 2.687 alunos.

Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida, não apenas no âmbito escolar, mas também familiar, a Escola vem se destacando na realização de suas atividades. Segundo a Diretora da Escola, Dinéia Urbanek “Para o aluno que está matriculado é uma mudança total na qualidade de vida. Quando o aluno entra, ele é visto na sua totalidade, tanto no aspecto familiar, quando emocional, social e afetivo. Nós não nos limitamos apenas ao ponto de vista acadêmico”, afirma.

Todo o trabalho realizado é destinado à habilitação, reabilitação e inclusão do público atendido. Com uma equipe de profissionais dedicados, são ofertadas aos alunos diversas atividades. Além da grade curricular de Português, Matemática, Ciências, Geografia, História, Cultura e Artes o estudante tem a possibilidade de aprender com os projetos da Biblioteca, Brinquedoteca e Informática. A Diretora destaca que, a grande diferença no atendimento está, não apenas na escolarização, mas também, na estimulação neurossensorial que o aluno recebe estando matriculado na Escola Ecumênica.