00238465

FEPE recebe o Prêmio Viva a inclusão

 Na última segunda-feira, 03/12, a Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional – FEPE recebeu o Prêmio Viva inclusão com a prática “Começando o Dia com Música” realizada pelo professor Paulo Pienta.

A prática é desenvolvida na chegada dos alunos na escola, ofertando música, canto e dança com o objetivo de prepará-los para o início das atividades escolares, melhorando sua capacidade de concentração, aceitação e disponibilidade à realização das tarefas.

O objetivo do evento foi premiar profissionais do serviço público, estudantes, pesquisadores, iniciativas privadas, organizações da sociedade civil e comunidade divulgando experiências nas áreas da saúde, educação, cultura, trabalho, esporte, acessibilidade, vida autônoma e defesa de direitos.

A entrega do prêmio ocorreu no Salão Brasil na Prefeitura de Curitiba e contou com a presença do prefeito Rafael Greca, do vereador Pier Petruzziello e da assessora dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Denise Maria Amaral de Oliveira Moraes. Estavam presentes no evento, para receber o Prêmio, o professor Paulo Pienta, a diretora da Escola Ecumênica, Dinéia Urbanek e a Coordenadora de Projetos, Claudiane Pikes.

 

Imagem: Ministério da Saúde

Videoconferência abordará o tema Doença Falciforme

No dia 19/11, A hematologista da FEPE, Dra. Débora Carmo, participará como palestrante, da videoconferência realizada pela Secretaria da Saúde do Estado do Paraná, com a palestra “Principais cuidados  da criança e adolescentes com Doença Falciforme na Emergência”. O objetivo principal da videoconferência é sensibilizar e preparar os profissionais das unidades de urgência e emergências melhorando o acesso e cuidado às áreas de atenção inclusiva, possibilitando a melhoria da qualidade dos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

A Doença Falciforme é a enfermidade hereditária mais comum no Brasil. Reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como um grave problema de saúde publica, essa doença tem um grande impacto na morbimortalidade da população.

 

Programação:

Horário Tema Responsável
13h45-14h Boas vindas SESA
14h-14h20 Política de Saúde Integral da População Negra/Doença Falciforme-DF SESA-DACC e Hemepar
14h20-14h40 Considerações sobre a  Rede de Urgência e Emergência no Paraná SESA-Rede de Urgência e Emergência
14h40 15h10 O acolhimento da pessoa com DF na Emergência Dra. Bianca Stefanello

Médica do HC

15h10

15h40

Principais cuidados  da criança e adolescentes com DF na Emergência Dra Débora Carmo

Médica do HC e FEPE

15h40-16h Interação com publico

 

Serviço:

Videoconferência Tema: “O Acolhimento da Pessoa com Doença Falciforme nos serviços de Urgência e Emergência”

Data: 19/11      

Hora: Das 13h45min às 16h

Local: SESA – Sala da CIB – 22 Regionais de Saúde

Mais informações: (41)3330-4499

dscn1306

FEPE recebe o prêmio Imprensa 2018

Na última sexta-feira, 09/11, a Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (FEPE) recebeu da Associação Paranaense de Imprensa (API) o “Prêmio Imprensa por um Paraná Melhor”. A entrega do prêmio ocorreu no auditório do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná.

O objetivo do evento é premiar e homenagear personalidades, profissionais do jornalismo e entidades beneficentes que se destacaram, no ano de 2018, por realizarem trabalhos que tornem o Paraná melhor. Estavam presentes, no evento, para receber o Prêmio o Presidente do Conselho Curador, Elcio Domingues, e a Diretora Tesoureira, Ericléa Reck Steinke.

 

dscn1306

Entrega do “Prêmio Imprensa por um Paraná Melhor”

43823275_2407885639226311_5037443867327070208_n

Ajude os alunos da FEPE a terem um Natal incrível

Com o objetivo de levar um Natal inesquecível e cheio de alegria para seus alunos, a FEPE – Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional está realizando a campanha FEPE NOEL. Serão sorteados 3 prêmios, e cada bilhete custa R$ 5,00. Além de concorrer aos prêmios, você também estará ajudando na realização do natal e compra dos presentes para os alunos.

Serão sorteados, no dia 17/12/18, três prêmios: 1° lugar, uma TV 50’’; 2° lugar, uma Geladeira Duplex; 3° lugar, um Celular Samsung J7. Para adquirir o seu bilhete, basta falar com algum dos colaboradores da FEPE, entrar em contado pelo Facebook ou pelo telefone 3111-1850.

 

43823275_2407885639226311_5037443867327070208_n

 

dscn1648

Começou o 7º Encontro Paranaense de Triagem Neonatal e Doenças Raras

O primeiro dia do 7° Encontro Paranaense de Triagem Neonatal e Doenças Raras foi realizado nessa quinta-feira, 08/11. O evento de abertura contou com a presença de várias autoridades, palestrantes, participantes e expositores. Realizado na Associação Médica do Paraná, o primeiro dia, foi repleto de muito conhecimento e emoção.

A abertura do evento contou com a participação de autoridades de renome, que enfatizaram a importância da realização desse evento, não apenas para os profissionais, mas também, para os estudantes da área da saúde. Os alunos da Escola Ecumênica, também estavam presentes no primeiro dia, abrilhantando o evento, com a apresentação do hino nacional brasileiro e cantando a música “Uma Prova de Amor”, tocada e escrita pelo professor Paulo Pienta.

Os participantes tiveram um dia repleto de novas experiências e conhecimento. As palestras, ministradas por profissionais da área da saúde, promoveram o debate a respeito da necessidade de prevenção e diagnóstico de doenças raras, dando a oportunidade para que os profissionais e estudantes pudessem conhecer, discutir e sanar as dúvidas sobre os desafios da saúde preventiva no Estado.

Foram tratados, no dia de hoje, assuntos como: Bioética em Triagem Neonatal, com Prof. Dra. Daiane Priscila Simão; Aspectos legais no Teste do Pezinho (responsabilidade dos pais, dos órgãos de saúde, profissionais de saúde), com Dra. Fernanda Nagl Garcez; Triagem Neonatal em Recém Nascidos Pré-termo (RNPT), com Dra Ivy Furtado; Panorama Estadual na Triagem Neonatal no Paraná, com Dra. Iolanda Maria Novadzki; Papel das Maternidades na Coleta do Teste do Pezinho, com Enfermeira Alessandra Beatriz Rossini; Triagem Neonatal de Doenças Infecciosas, com Prof.ª Dra. Andréa Rossoni; Triagem Neonatal da Galactosemia, com Profª Dra. Sandra Schueler e Triagem Neonatal da Deficiência de G6PD, com Dra. Débora Carmo

O 7° Encontro, também, teve um evento Satélite com o tema Doença Falciforme, e abordou os seguintes temas: Interpretação dos Resultados do Teste do Pezinho na Doença Falciforme, com Dra Débora Carmo; Orientação Genética no Traço Falciforme para Atenção Básica, com Prof. Dr. Rui Pilloto.

Também foi disponibilizada, para um número reduzido de pessoas, uma visita ao laboratório da Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional – FEPE – onde os participantes do evento puderam conhecer na prática, como é feita a análise das coletas que chegam das unidades de saúde do Paraná e Santa Catarina.

 

 

dscn1621

FEPE Recebe o Selo SESI – ODS 2018

A Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional – FEPE – recebeu, na última terça-feira, 30/10, o Selo SESI ODS – 2018. O evento tem como objetivo reconhecer os melhores trabalhos da indústria, empresas, poder público, organizações de sociedade civil e instituições de ensino, que trabalham para alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que fazem parte de um protocolo assinado em 2015, por 193 países, durante a assembléia geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

A entidade foi premiada na categoria Educação de Qualidade (ODS4), com a prática “Grupo Aprendiz Especial (GAE)”, que tem como missão melhorar a qualidade de vida de pessoas com deficiência com ações nas áreas de assistência social, saúde e educação.

A FEPE, que já recebeu o prêmio no ano de 2017, na categoria Saúde e Bem-Estar, foi representada pelo Diretor Presidente, Alexandro Luiz Barbosa, a Vice Diretora da Escola Ecumênica, Heloane Sozzi, a Pedagoga Nelci Fernandes e a Coordenadora de Projetos, Claudiane Pikes.

banner-site-2

Você pode ajudar a FEPE solicitando a Nota Curitibana

O programa “Nota Curitibana” é um estímulo aos cidadãos para que solicitem a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica – NFS-e, na contratação de qualquer serviço na Cidade de Curitiba. Diferente do programa “Nota Paraná” os beneficiários do programa são consumidores que pedem notas emitidas por empresas que recolhem Imposto Sobre Serviços (ISS), como por exemplo, estacionamentos, academias, escolas particulares, lavanderias, creches, faculdades, cursos de idiomas, construtoras, cabeleireiros, hotéis, oficinas mecânicas, empresas de vigilância e limpeza, entre outros.

Ao fazer a solicitação o beneficiário também pode indicar uma instituição social, para ser contemplada igualmente pelo programa, desde que a mesma, esteja devidamente registrada na Fundação de Ação Social (FAS). São realizados sorteios de prêmios que variam de R$ 10,00 a R$ 50.000,00 todos os meses.

COMO PARTICIPAR:

Para fazer inscrição, o beneficiário deve acessar o site do programa “Nota Curitibana”. Clicar no Link “Acessar” e em seguida “Cadastrar”. Após isso, deve preencher os campos solicitados e informar um E-mail pessoal. Em seguida, basta criar um “login” e “senha”. Depois, acesse o sistema e escolha “Participar do sorteio do Nota Curitibana”. É nesse momento que você deve escolher duas instituições, a primeira que receberá a premiação em dinheiro, e a segunda no caso de algum impedimento da primeira.

BENEFÍCIOS:

Além de concorrerem aos valores descritos à cima e ajudar a FEPE, ao solicitarem as notas fiscais, os cidadãos consumidores de serviços poderão abater até 30% do valor devido no IPTU. Para isso, basta que os consumidores indiquem o imóvel e o valor que pretendem abater, no período de 1º a 30 de novembro de cada ano.

 

imagemflyer

por-un-mundo-brasil-ilovepdf-compressed-1-1

Setembro: O mês internacional das Leucodistrofias

Iniciativa da Fundación Lautaro Te Necesita, da Argentina, a campanha “Por um mundo sem Leucodistrofia”, tem como objetivo despertar a conscientização da população para a existência da Leucodistrofia, um grupo de doenças raras que atingem principalmente crianças, e que não tem cura, entretanto, o diagnóstico precoce permite que a progressão da doença ocorra.

A Leucodistrofia é uma doença que afeta o Sistema Nervoso, causando alterações na Bainha de Mielina, podendo deixar diversos tipos de sequelas, como por exemplo, perda de audição, visão, dificuldade de locomoção e problemas na deglutição.

A campanha desse ano é realizada em parceria com 5 associações de diferentes países da America Latina: Argentina, Espanha, Brasil, Bolívia e México unidos para tornar visível essa doença.

A FEPE apóia a campanha e também administra o cadastro de Síndromes e Doenças Raras do Paraná (SIDORA), em parceria com a SESA – Secretaria de Estado da Saúde do Paraná e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado tem por objetivo identificar e conhecer a realidade das Pessoas com Doenças Raras e Associações de apoio a essas pessoas no Estado do Paraná.

 

por-un-mundo-brasil-ilovepdf-compressed-1-1

img_8467

Fazendo Arte!

Com o objetivo de expor os trabalhos dos alunos e professores a Semana da Ciência, Cultura e Arte da FEPE revelou muitos sorrisos e energia positiva dos alunos e funcionários. Foram apresentados, do dia 17/09 até 21/09, diversos trabalhos com dança, música, teatro, comidas típicas e exposições em sala de aula.

A semana de Ciência, Cultura e Arte é um projeto que vem sendo realizado todos os anos na Escola. Os temas são definidos em meados de fevereiro e trabalhados com os alunos durante o ano. O tema desse ano é o “Os Vários Brasis que tem dentro do Brasil” que trata dos imigrantes que ajudaram a transformar o Brasil no País de todos os povos.

Para a representação, os alunos apresentaram danças como Samba, Dança dos índios, Dança dos Bichos, Gaúcha, Frevo, Baião, Carimbó, Puxada de Rede e Bolero. Apresentação de Teatro com os temas: “O pescador, o Anel e o Rei” e “O Belo Adormecido” e exposições em sala ambiente sobre: “Lendas do Paraná”; “Itália”, “Alemanha”, “Polônia”, “Japão”, “Cultura Indígena” e “Regiões Brasileiras”.

Para os alunos essa é a oportunidade de se expressar e apresentar os trabalhos que desenvolveram em sala de aula. Segundo a Vice-Diretora, Heloane Sozzi “Os alunos saem da rotina, eles são responsáveis pela produção e apresentação, tanto no salão, quanto nas salas. A semana também oportuniza a socialização entre as turmas”, afirma.

Também foram convidados os pais dos alunos para prestigiar os trabalhos produzidos pelos filhos. “Nós Abrimos as portas da Escola para a visita familiar. A presença dos familiares na Semana da Ciência, Cultura e Arte é, não apenas uma alegria para os alunos, como também um incentivo para continuarmos esse trabalho”, comenta Heloane.

 

_mg_6544

Setembro Roxo: O mês de conscientização da Fibrose Cística

O Setembro Roxo é o mês de conscientização da Fibrose Cística, doença genética que faz com que o corpo acumule secreções tipo muco em diversos órgãos, mas, principalmente nos pulmões e no pâncreas. Se não tratada precocemente pode ocasionar complicações como doença respiratória crônica e desnutrição.

A Fibrose Cística é uma doença que não tem cura, porém se identificada e tratada precocemente proporciona ao paciente uma maior qualidade de vida. Esta é uma das seis doenças pesquisadas na Triagem Neonatal, através do Teste do Pezinho, no Estado do Paraná. O Teste é realizado gratuitamente pela Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (FEPE) e identifica recém nascidos com suspeita de ter a doença, que só poderá ser confirmada através do Teste do Suor, também realizado pela Instituição.

Atualmente, existem 163 pacientes com Fibrose Cística realizando acompanhamento regular no Serviço de Referência em Triagem Neonatal no Paraná, só em 2018 foram detectadas 11 crianças com a doença.

A FEPE é responsável pelo Serviço de Referência em Triagem Neonatal no Paraná e o Laboratório Especializado em Triagem Neonatal de Santa Catarina, auxiliando na prevenção e diagnóstico de doenças raras. Além de fazer os exames, o Programa de Triagem Neonatal tem o compromisso de realizar exames confirmatórios, tratamento e monitoramento dos pacientes que estão em tratamento, através do SUS. O Programa é gratuito aos usuários dos sistemas público ou privado.

Teste do Pezinho realizado pela FEPE